Saiba maisSOBRE MIMe a minha carreira.

NASCIDO NA TRADIÇÃO

oaquim de Magalhães Fernandes Barreiros nasceu a 19 de Junho de 1947 em Vila Praia de Âncora (no Minho), mesmo em frente do Oceano Atlântico: o imenso mar que, então já com o nome artístico de Quim Barreiros, iria atravessar várias vezes para animar com a sua música as comunidades portuguesas de emigrantes estabelecidas nos Estados Unidos, Canadá, Brasil ou Caraíbas. Filho de Joaquim de Matos Fernandes Barreiros (nascido em S. Paulo, Brasil) e de Margarida de Magalhães de Melo (nascida em Paredes de Viadores, perto de Marco de Canaveses), Quim Barreiros tem duas irmãs mais velhas, Manuela e Rosa, e um irmão mais novo, Cláudio.

BREVE BIOGRAFIA

Ainda criança, Quim Barreiros bebeu os ensinamentos musicais da grande tradição minhota: os viras, os malhões, as chulas e canas-verdes. Na adolescência viajou por Portugal inteiro, já a tocar acordeão em ranchos folclóricos com os quais tomou contacto com muitos outros géneros do nosso país. No início da idade adulta, fixou-se em Lisboa, onde frequentou as casas de Fado e começou paralelamente a inscrever o sue nome em dezenas e dezenas de gravações – essencialmente de música tradicional portuguesa mas não só. E com a descoberta de uma voz própria como cantor, em meados dos anos 70, e a sua vocação para as rimas brejeiras e divertidas – com uma passagem pelo canto de intervenção ao contrário –, estava aberto o caminho a um dos percursos mais sui generis e originais da música portuguesa dos últimos quarenta anos. Aqui ficam as histórias que fizeram de Quim Barreiros... o Quim Barreiros tal como o conhecemos hoje. Ver mais

Ver Mais

UM ACORDEÃO NAS CASAS DE FADO

Aos vinte anos, Quim Barreiros teve que trocar Vila Praia de Âncora por Lisboa, onde foi fazer a tropa. E, aquilo que na altura (segunda metade dos anos 60) poderia vir a ser uma fatalidade para muitos dos jovens portugueses que faziam a recruta em Portugal e depois iam combater para a Guerra Colonial, revelou-se um golpe de sorte para Quim Barreiros: não foi servir no Ultramar e ficou por Lisboa, integrando a Banda da Força Aérea... e começando então a contactar com o circuito das Casas de Fado. Quando fui para a Força Aérea”, conta Quim Barreiros, “fui como especialista. Eu estava a tirar o curso na Escola de Electromecânica, em Paços de Arcos, e na tropa puseram-me como mecânico de radar...

Aqui estãoAs minhas PublicaçõesNão as percas

Os músicos da minhaBandaConheça-os melhor

Quim Barreiros


Voz, Acordeão e Concertina, nascido a 19 de julho de 1947 em Vila Praia de Âncora

Manuel “Nucha” Lima


Baterista, nascido a 10 de março de 1956 em Viana do Castelo

Claudio Fernandes


Técnico de Som, nascido a 19 de outubro de 1966 em Vile

Zé Valadas


Teclista, nascido a 20 de janeiro de 1967 em Mafra

António Pires


Teclista, nascido a 12 de setembro de 1966 em Freixieiro de Soutelo
"Há um fenómeno que merecia um grande estudo, que é o caso do Quim Barreiros. Herdou toda a tradição da música minhota (...) Só que ainda ninguém reparou nisso."
José Alberto Sardinha, Musicólogo

As minhasmúsicasPara ouvir e partilhar

"Antes de comer, cheira sempre"
Quim Barreiros

Tens uma fotografia comigo?Envia-me as tuas Fotos

 

Queres ver a tua foto aqui? Preenche o formulário ao lado.

Quer enviar-me uma mensagem?Eu respondo!